quarta-feira, 25 de novembro de 2015

1º Domingo do Advento



Preparar-se par o Natal não é só encher a casa de enfeites... 
É enfeitar seu coração para que Jesus nele faça morada. 
Assim é natal.

Olá crianças... tem algo muito próximo, mas muito próximo... Está muito próximo... Sabem o quê é?
Eu Não vou falar! Vou deixar vocês descobrirem, mas vou ajudar, está certo?
Se vocês são bons observadores notaram que nas ruas já apareceram os primeiros sinais... Tem sinais também já em algumas lojas... tem famílias que arrumaram suas casas para essa festa... O que será hein?
Vocês sabem do que eu estou falando? Estamos falando sobre o natal... O natal esta chegando... uma das maiores festas dos cristãos... O nascimento do menino Deus.
E então, crianças, na casa de vocês já tem sinais do natal?
Quer dizer que as pessoas já começaram a se preparar para o natal? Sabe como é que se chama quando nos preparamos para o Natal? Chamamos esse tempo de ADVENTO!
Estamos no tempo do advento, da preparação para a chegada de Deus-Menino e quer data melhor do que essa? Celebrar Jesus-Menino?
E hoje é o primeiro domingo do Advento. Estamos quase no mês do Natal. E o ano está no fim.
Mas por outro lado, o ano litúrgico começa hoje.
O ano litúrgico é o ano da nossa igreja.
E sabem por que? Porque nós estamos na época do Advento. Ou seja: Estamos esperando o nascimento de Jesus.
E é preciso se preparar...
Vamos limpar nosso corações de todos os pecados para receber o Menino Jesus!
Vamos dar uma arrumada na casa, montar o presépio... mas também vamos preparar nosso coração. Porque o Menino Jesus vai nascer! E a gente tem que estar sempre pronto para a vinda de Jesus?
Sempre, sempre...
Então vamos começar mais um ano litúrgico com Jesus no coração.

REFLEXÃO 
Abelha e urubu - 
Ovelha - 
Hiena - 
Rato

Todos – é natal... é natal ... um feliz natal ... é natal é natal ... tempo de presentes do Papai Noel 
Ovelha- - Ei, espera ai ?? Quem disse que natal é tempo de presente? 
Hiena - Uai... e não é não, é ?
Abelha - - como você é bobinho... Natal também é tempo de comer .. comer muito e muito e beber muito e muito . 
Rato – Ah!! Cala a boca , seu urubu!
Urubu – Vê só , quem tá falando... um rato ?
Ovelha – Vamos parar com essa brigaiada ? Vocês não sabem que Natal é tempo de reconciliação ?
Abelha e hiena - Reconciliação???O que é isso?
Ovelha – é fazer as pazes se estão brigados, é ser mais humilde e saber pedir perdão.. é se unir , em vez de dividir , entenderam ?
Abelha – uai... Eu não tenho que reconciliar com ninguém, sou tão boa !1
Urubu - olha só quem tá falando?? Quem vive picando os outros!!
Abelha - Que isso!? E vc que é um urubu fedido e só vive dos restos do que sobra dos outros
Rato – Oba! Briga !!!Dá no oio, dá no oio... Gosto de ver sangue.
Ovelha - Pode parar de novo, gente!!!Toda hora eu vou ter que pedir pra terminar a briga ?
Abelha – É mesmo ,gente. Tempo de natal... é tempo da gente estar mais atento pra pecar menos. Tempo de a gente vigiar nosso coração pra gente não deixar o pecado invadir.
Ovelha – É isso, bicharada. Assim, como os homens pecam e pedem perdão, é tempo também da gente refletir... Tempo de colocarmos somente paz, alegria, amizade, amor entre nós para que assim possamos receber Jesus Menino .
Hiena - já sei então... Vamos pedir perdão por não termos vigiando bem nosso coração e a cada pedido a gente diz : perdão senhor , perdão : 
Todos – Então vamos –
Ovelha - Vamos pedir perdão pelas nossas brigas, pela violência contra nossos irmãos.
Todos – perdão, senhor, perdão!
Rato – Vamos pedir perdão porque somos desobedientes, porque pensamos que natal é só tempo de presentes, de comida e esquecemos de Jesus que nasce em nós
Todos – perdão, senhor perdão.
Hiena - vamos pedir perdão pelo nosso egoísmo, pela nossa ambição, pela cegueira do nosso coração que não sabe vigiar o tempo de Deus em nós 
Todos - perdão, senhor, perdão.
Urubu – Vamos então pedir perdão por todos os nossos erros e prometer ao Senhor, nos reconciliarmos com nosso Deus .
Todos – perdão, senhor, perdão
Abelha – Gente, então vamos pedir perdão cantando, todo mundo bem bonito?? 
Todos – Muito bem, vamos todos cantar com alegria.


 

Quando Eu Menti

Quando menti, afastei-me de Ti.
PERDÃO, SENHOR, PERDÃO SENHOR.
Desobedeci e afastei-me de Ti:
PERDÃO, SENHOR, PERDÃO SENHOR.
Quando magoei o meu irmão,
Fui pra longe, bem longe, bem longe de Ti!
Mas eu quero voltar, por isso estou aqui.
PERDÃO, SENHOR, PERDÃO SENHOR.






A MISSÃO DO PINHEIRINHO
Numa bela floresta de pinheiros havia um grande rebuliço e muita curiosidade:
- Está chegando o Natal! Dizia com uma voz grossa um pinheiro.
- Vovô que sabia das coisas.
_ Natal? Natal? O que é Natal? – perguntou um alto pinheiro adolescente.
-  O Natal é uma festa – respondeu logo o velho pinheiro, pai de inúmeros pinheiros jovens.
- Um passarinho contou-me que na cidade todas as pessoas enfeitam suas casas, fazem panetones gostosos, rabanadas com açúcar e canela e trocam presentes entre si, explicou um pinheirinho com “ares” de sábio.
- O papagaio arrepiado disse que o Natal é festa alegre. Todos cantam porque se sentem felizes...
Lá do alto do pinheiro mais alto cantou o papagaio:
“Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor, da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador”.
- Papagaio! Papagaio! Explique o que é isso? Perguntou curioso o pinheiro caçula.
- Papagaio repete currupaco! Papagaio não explica...
Mamãe pinheiro calmamente ensinou aos pinheiros curiosos:

- Natal é festa de Jesus! Ele nasceu há muitos anos em Belém, todos os anos festejamos seu aniversário. Um dia Ele virá em pessoa.
- em que dia?
- Nem Jesus sabe... Só Deus.
- Precisamos estar preparados, para essa vinda gloriosa, cuidado! Quem for bom,
Generoso e obediente, aquele que souber amar e perdoar, será escolhido por Jesus para um lugar lindo, onde nenhum pinheiro morrerá, e terá vida eterna.
- Que maravilha! Com certeza Ele, Jesus, deixará que eu seja um mastro de navio para conhecer muitos lugares, muitas pessoas, muitas festas, muitas músicas e danças... – Disse com firmeza o pinheiro alegre.
- Já eu, que sou tão amigo de todos, vou pedir a Jesus que me deixe ser um mastro de bandeira, numa escola onde estarei rodeado de crianças...
Cada pinheiro, que tinha certeza que Jesus o escolheria em sua vinda, dizia o que desejaria ser...
Um pinheirinho de dois palmos de altura quis conversar com altos e magníficos pinheiros, mas eles não lhe deram atenção.

Era tão pequeno, tão fraquinho, que sua voz não chegava às alturas.
Nesse momento, alguns caminhos pararam junto à clareira, no meio da floresta.
Desceram dos caminhões homens com serrotes, cordas e machados.
Escolheram os mais altos e belos, serraram os troncos, cortaram as folhas e puseram-nos nos caminhões.
O pinheirinho de dois palmos foi abandonado... e chorou!
- E eu! Eu sou bem pequeno, mas estou pronto! Queria ser levado para algum lugar perto de Jesus
Nisso ouviu uma voz de criança
- Pai, pare o caminhão! Está ali o que eu queria...
O garotinho alegre e feliz arrancou a arvorezinha do chão com suas raízes e colocou-a numa latinha com terra.
- Oba! Couve direitinho. É do tamanho que eu queria!
O menininho voltou ao caminhão do pai e logo disse com muito entusiasmo:
- Vamos, papai, o senhor sabe para onde.
Os dois cantarolando saíram da floresta, andaram muitas horas por uma estrada de barro, depois por uma de pedra, e após duas horas passaram pela estrada pavimentada e finalmente pararam em frente a uma igrejinha de porta aberta.
Zeca, o menino, desceu do caminhão, entrou na igreja com seu presente e colocou-o ao lado do altar, num presépio arrumado com carinho. Lá já estavam José, Marinha, carneirinhos, pastores, uma vaca e um burrinho.
O pinheirinho estremeceu de alegria ao se ver fazendo parte daquele grupo de tanta paz. Alguém chegaria em breve e ele se sentia preparado para recebe-lo.

Precisamos estar atentos. Precisamos vigiar! Jesus quer encontrar-nos fazendo o bem: amando a todas as pessoas (para sermos amados por ele), perdoando aos que nos fazem sofrer.



quarta-feira, 18 de novembro de 2015

FESTA DO CRISTO REI

Apucarana, 22 de novembro de 2015.

1.ACOLHIDA – Olá, queridas crianças.. Sejam todos muito bem-vindos  para nosso encontro na Salinha Catedral. Vamos iniciar com a canção do Sinal da Cruz ( cantar outros cantos também).

2. EXPLICAÇÃO DA FESTA DO CRISTO REI -Hoje é um dia todo especial , vamos ver se vocês adivinham. Quem adivinhar ganhará um tercinho.  Vamos lá, olhem só as pistas: 
                                                     
                                                     Hoje é dia de castelo







                                                                Dia de coroa 



                                                                   Dia de cetro


                                                                       Dia de manto



                                                  Então hoje é o dia do REI!!



Muito bem, mas na missa não está falando desse tipo de rei, porque nós católicos temos outro rei que não quis trono, nasceu simples numa manjedoura, mas que é mais poderoso que todos os reis do mundo. Hoje é dia de prestar homenagens a esse rei.
Quem sabe quem é ele ?
Nosso Rei ,Senhor das nossas vidas , aquele a quem seguimos é JESUS!



Este é o nosso rei. Um rei simples, rico em amor, riquíssimo em poder, humilde, terno... que nos vê com lentes diferentes , sem condenar , que ampara , cuida , ama e nos quer bem .
Um rei que não teve onde reclinar sua cabeça, longe dos castelos e perto do povo que ele tanto ama. Esse é o rei que hoje celebramos que tem como missão nos chamar a sermos semelhantes a ele.

Se aqui estamos é porque queremos ser seus súditos , aqueles que o seguem , que fazem de seu reinado um sucesso , porque o ama e fazem do seu reino um lugar de paz e amor .

3.HISTÓRIA: O rei  que era dono do mundo


Era uma vez, um Rei muito rico.  Ele era tão rico , que suas riquezas eram impossíveis de contar. Mesmo assim, ele não estava satisfeito, e queria sempre mais e mais. Por isso ele não se importava com nenhuma outra coisa.



Um dia, ele subiu na mais alta torre do seu castelo, olhou para suas terras sem fim, e disse:
- Tenho muito pouco, preciso conseguir mais. Na verdade acho que preciso de todas as terras e riquezas do Mundo!


Então, ele convocou seus exércitos que eram muitos, e lhes ordenou que conquistassem todas as nações do Mundo, e lhe trouxesse todas as Riquezas existentes. Assim, seus exércitos partiram para cumprir sua missão.


Depois de feito isso, ele disse: 
- Agora sim, tenho tudo no Mundo. Na verdade eu tenho o próprio Mundo e também todas as suas riquezas. Nada mais me falta, não preciso de mais nada! 

E ele se cobriu com seus tesouros. Estava tão contente que dormiu ali mesmo.


Então um dia, ele viu que não estava mais contente, e pensou: 
- Eu já tenho todas as riquezas e terras do Mundo, todas as pessoas são meus servos, e ainda assim sinto que me falta mais alguma coisa! 


Assim ele mandou chamar seus sábios, para que descobrissem o que ainda lhe faltava.
E eles disseram: - A coisa mais importante do Mundo, deve ser a mais difícil de se conseguir. 
Não pode ser conseguida com Dinheiro ou Poder. Na verdade o Senhor já possui essa coisa, 
e Ela lhe foi dada de graça. Mesmo assim ela não pode ser vista ou tocada, e só pode ser vista quando a pessoa a perde.


Depois de ouvir isso, o Rei ficou pensativo, e sem entender o que os Sábios queriam dizer com aquilo, afirmou: - É claro que esta Coisa não existe! Qualquer coisa que eu conheço, ou pode ser comprada com meu Dinheiro, ou Conquistada por meus Exércitos!!

                                    



Apesar de ganancioso, o Rei era um bom governante para o seu Povo. 
Assim, cismado com as palavras dos Sábios, resolveu por um tempo, desistir de querer saber o que faltava conquistar. Então um dia, o Rei amanheceu com Febre. Estava Doente.

                                                   
                                    


Assim, ele mandou chamar os melhores Médicos e Magos do Mundo, para cuidar de sua doença.  Mas o tempo passava, e Ele não melhorava. Então mandou chamar os Sábios para ouvir seus conselhos.




E os Sábios disseram: 
- Isto Majestade, era a coisa da qual lhe falamos naquele dia. Nós a temos desde o nascimento, e não pode ser vista até o momento que deixa de existir. Essa coisa é nossa SAÚDE. Poucos lhe dão importância, mas, é a coisa mais importante do Mundo, e é IMPOSSÍVEL de se comprar.


Então o Rei compreendeu tudo, e disse: - Eu com todo o Poder e Riquezas, não fui capaz de conseguir algo tão simples, que era minha Saúde. Eu fui um tolo! De que adiantou tanto poder e riquezas, se não fui capaz de conquistar algo que me foi dado de Graça!!




E o Rei finalmente ficou curado. Então ele disse:  - Agora sei o que é ficar Doente. De hoje em diante, meu povo terá os melhores Hospitais e médicos e escolas. Minhas terras serão de todos. E ele foi contar a boa nova ao seu Povo.






Então ele subiu na torre mais alta do seu Castelo, e olhando de cima pensou:
- Como é bonito a paisagem daqui de cima. Eu já subi muitas vezes aqui, e nunca tinha visto que era assim. E pensar que esta beleza sempre existiu. O olhar de felicidade vê coisas maravilhosas. Ter saúde é de fato uma benção.



4. ATIVIDADES:
a) Pintura alusiva ao tema
b) Brincadeiras intelectuais e jogos

5. FONTE:
Pesquisa e Colaboração: Prof.ª Luzia de F. Gonçalves da Silva – Escola Nossa Senhora da Alegria – Apucarana- Paraná.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

33º DOMINGO DO TEMPO COMUM



15 de novembro de 2015

Ano B - Verde



“Coloque em nós o desejo da

Pátria eterna!”




EVANGELHO - Mc 13,24-32


No Evangelho de hoje vamos ver que Deus fala ao homem através da criação. A lua e a noite, o vento e o fogo, a água e a terra, a árvore e os frutos falam de Deus, simbolizam ao mesmo tempo a grandeza e a proximidade Dele. E o escuro do céu, a falta de brilho da lua e a queda das estrelas significam os sofrimentos e as tribulações da vida.
(O povo do Antigo Testamento acreditava que as manifestações da natureza eram sinais de que Deus estava agindo em favor de seus amigos, e que o próprio Deus está acima de qualquer dificuldade.)
E Jesus aproveita esta crença do povo do antigo para anunciar que algo importante e novo estava acontecendo: a chegada do Reino de Deus anunciado por Ele que mostra um novo jeito de viver, uma nova direção.
“Filho do Homem” é um título que Jesus atribui a si mesmo, levando a sério a sua encarnação que gera a esperança da vitória e da salvação, que é a presença Dele no meio dos homens.
Quando vai chover o céu nos revela alguns sinais. Quais são eles? (espere que falem)
Quando chega a estação do outono? Estão lembrados de que jeito fica à terra? Vento, folhas caídas... e, quando chega à primavera? Flores, de todas as cores, de todas as formas, de todos os tamanhos, têm perfume no ar, não é mesmo?
Que estação nós estamos?

Ainda usando símbolos, Jesus ensina que como a figueira floresce para indicar a chegada do verão, a esperança encherá o coração dos que estão preparados para a salvação que Ele veio trazer.
E quanto à hora que isso vai acontecer, Jesus não esclarece, pois ninguém pode deixar para o dia de amanhã o que precisa fazer no dia presente. Ele, porém, oferece algo que é estável, certo e definitivo: a Sua Palavra que ficará para sempre! É amor sem fim! Missão dos discípulos de Jesus que continuarão anunciando o Cristo e pregando o Seu Evangelho, Sua Palavra!

OPÇÃO I
O CARAMUJINHO E O MAR
Zezé era um caramujinho amarelo que morava pertinho do mar.
A vida do Zezé seria maravilhosa se ele morasse bem longe do mar. É que desde pequeno o caramujinho morria de medo das ondas, do barulho da água, de tudo... Quando o sol nascia bonito no horizonte, os caramujinhos, irmãos do Zezé corriam para brincar na água, era aquela festa! Na praia só ficava o caramujinho amarelo, todo infeliz da vida, querendo acompanhar os irmãos, mas com medo do mar.
Bem que ele tentava ir para a praia, mas quando estava pertinho das ondas suas perninhas tremiam como vara verde e o jeito era voltar e deixar o mar de lado.
Por isso o Zezé vivia triste e envergonhado.
Alguns caramujões zombavam dele, dizendo que onde se viu um caramujo com medo do mar!...
Mas, o eu podia fazer! Ele tinha medo de verdade, fazia o possível, mas não conseguia entrar na água.

Numa manhã, quando todos se divertiam, pousou perto do Zezé uma borboleta muito bonita.
Era colorida, elegante, com asas longas e leves, uma borboleta muito alinhada mesmo. Quando a borboleta notou a cara de tristeza do Zezé foi bater um papo com ele:
- O dia está lindo – disse ela – o sol quentinho, o mar calmo e você com esta cara. Qual é o problema, Zezé?
- O problema, dona borboleta, é o mar...
- O mar? – perguntou a borboleta -  Mas o que é que há de errado com o mar tão lindo?
Aí o caramujinho explicou:
- Ele é bonito, dizem que suas águas são fresquinhas, gostosas, mas eu tenho muito medo dele. O mar é tão grande, tão cheio de água, de peixe, tão cheio de ondas, e eu sou tão pequenininho no meio de tanto mar, que não consigo enfrenta-lo.

A borboleta era inteligente e bondosa, por isso entendeu logo o problema do caramujo e continuou a conversa:
- Sabe Zezé, um dia quando eu era criança, quando era ainda uma borboletinha muito pequenininha, tive de aprender a voar. Mas quando vi o céu tão grande, tão grande, comecei a tremer de medo. O céu era muito maior do que eu. Na certa ei não conseguiria voar direito e acabaria no chão. Toda machucada.
Eu não ficava envergonhada por estar com medo do céu. Não é feio ter medo. O problema é quando o medo manda na gente.

Eu sabia que poderia voar, por isso, um dia abri minhas asinhas e deslizei pelo ar. Como foi legal... Eu não caí, não fiquei machucada. Minhas asinhas eram pequenas, mas eram fortes, puderam me sustentar.
Daquele dia em diante eu sabia que o céu era grande, mas que eu poderia voar mesmo sendo tão pequena...

A borboleta, dizendo isso, se foi e o caramujinho voltou a ficar sozinho com o mar... A tarde estava chegando, o sol estava bonito, meio vermelho. Lá longe as aves brincavam de voar. Foi então que o Zezé começou a se lembrar das palavras de sua amiga:
- Não é feio ter medo. O problema é quando o medo manda na gente...
- Não é feio ter medo. O problema é quando o medo manda na gente...
Devagar, o Zezé se levantou e começou a caminhar para a praia. O mar parecia que estava feliz, pronto para recebê-lo e de leve as ondas molharam o Zezé. Era uma água fresquinha, gostosa...

O Zezé conseguiu vencer o medo. Ele conseguiu brincar com o mar
Lá longe voava uma borboleta e de longe mesmo ela olhava o Zezé na praia...
E, daquele dia em diante o caramujinho daquela frase tão bonita!
- Não é feio ter medo Zezé! O problema é quando o medo manda na gente...



OPÇÃO II
O rei leão cuidava com amor de sua floresta, defendia os mais fracos e ensinava a todos a respeitar uns aos outros. Certo dia ele partiu disse que iria encontrar um lugar melhor mas que voltaria para buscar os demais. Certo dia, alguns anos depois, surgiu um murmúrio de que o rei estava voltando e iria visitar cada morador. Ninguém sabia o dia, uns diziam que seria logo e outros acreditavam que ia demorar. O rei iria levar para viver no paraíso todos aqueles que estivessem prontos e os outros não. Foi então que dona tartaruga perguntou a joaninha:

Tartaruga: Oi amiguinha, fiquei sabendo que o rei vem vindo. O que devo fazer para que ele me leve junto dele?

Joaninha: Ah amiguinha você deve seguir seus mandamentos, fazer aquilo que ele ensinou enquanto esteve no meio de nós. Deve amar o próximo como a ti mesmo, ser mansa e humilde de coração.

Tartaruga: Nossa preciso me vigiar, vou ter mais atenção quando falar com meus amigos e vou tratar depressa de pedir perdão a dona aranha, pois ontem nós tivemos a maior briga.

Seu macaco que estava ali por perto e escutou a prosa comentou:

Macaco: Que preparar que nada, ninguém nem sabe se ele vai voltar mesmo. Vocês são bobas em!

Tartaruga: O rei pode ter ido embora, mas tudo que ele falou e ensinou deve ter permanecido em nosso coração. Suas palavras não passam.

Joaninha: A gente não precisa saber o dia exato só precisamos estar sempre vigilante. Quando esse dia de festa acontecer estaremos prontos.

Assim os três se despediram e se foram e como eles assim somos nós. Jesus veio ao mundo e nos ensinou muito sobre o amor e sobre como viver em paz. Um dia ele voltará e aqueles que estiverem vivendo segundo sua palavra irão para junto dele, pois Jesus é o único caminho que nos leva ao céu. 


 Daniela - coordenadora diocesana ministério para crianças( RCC de Umberlândia)

DINÂMICA
Brincadeira: CÉU – TERRA - MAR
Crianças numa fila de frente da catequista.
A catequista explicará que o local na fila é a TERRA, à direita dela é o MAR e a esquerda o CÉU.
Ao comando da catequista deverão pulr para o local indicado. Quem errar, deverá ficar parado na “terra” ou seja, na fila. Ao final da brincadeira quem ficou até o fim, receberá aplausos.
Este é um jogo de percepção. A catequista poderá fazer uma analogia, conversando com as crianças sobre a importância de estar “atento”, “esperto”, para ir ao céu.